O gás R-141B vai ser substituído? Saiba tudo sobre o assunto agora.

  • Dicas / Mundo da Refrigeração
  • 1 Comentário
O gás R-141B vai ser substituído? Saiba tudo sobre o assunto agora.

Se você é um técnico refrigerista, as chances de que você já tenha utilizado o R-141B são grandes. Esse fluido é muito usado na limpeza de tubulações de sistema de refrigeração. Apesar de popular, o HCFC é nocivo ao meio ambiente porque possui um alto potencial de contribuição para o aquecimento global. Portanto, o R-141B, gradativamente, será substituído, dando lugar à alternativas mais eficientes e mais sustentáveis.

A substituição desse popular fluido é regulamentada pelo Protocolo de Montreal, que prevê a gradual mudança desde 1989. A limpeza de sistemas de refrigeração é um processo extremamente importante para a saúde geral do sistema, garantindo uma performance otimizada e aumentando a vida útil dos aparelhos de refrigeração.

A substituição do R-141B, no entanto, não quer dizer esse processo está ameaçado. Fluidos mais eficientes estão chegando no mercado gradualmente. Quer saber mais sobre o assunto? Vamos te contar tudo agora.

O que é o Protocolo de Montreal?

O Protocolo de Montreal é um tratado internacional que procura diminuir e eventualmente erradicar o uso de fluidos refrigerantes nocivos à camada de ozônio. O tratado foi iniciado em 1989 e, atualmente, é seguido por 191 países.

A primeira classe de gases erradicada pelo protocolo foi a dos clorofluorcarbonetos, ou CFCs. Esses são fluidos compostos por cloro e flúor. Tais componentes, quando em contato com os gases presentes na camada de ozônio, reagiam de forma a criar oxigênio, o que destrói a camada que protege nosso planeta da radiação solar.

Os CFCs foram subtituídos com sucesso pelos HCFCs, como o R-22 e o R-141B. Apesar de reduzir em até 90% a agressão ao meio ambiente, os hidrofluorcarbonetos (HCFC) possuem um potencial de contribuição para o aquecimento global muito maior.

Você já ouviu falar do Retrofit? Esse é o nome do processo de substituição de fluidos refrigerantes HCFCs por gases mais eficientes energeticamente e inofensivos à camada de ozônio.

Quer saber mais sobre Retrofit? Nós temos um texto te ensinando a realizar o processo, passo a passo.

O Protocolo de Montreal foi vital para o controle de danos à camada de ozônio. A imagem da esquerda representa a concentração do ozônio em 1980. A da direita mostra a recuperação parcial da camada, em 2016. Fonte: NASA

O que é o Programa Brasileiro de Eliminação de HCFCs?

Em 1990 o Brasil aderiu ao Protocolo de Montreal e, em 2010, foi o quinto país que mais reduziu o uso de CFCs em aplicações de refrigeração, segundo ranking da Organização das Nações Unidas.

Porque os HCFCs contribuem largamente para o efeito estufa, também devem ser substituídos. O Programa Brasileiro de Eliminação de HCFCs, ou PBH, pretende realizar esse objetivo até 2040. O PBH é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, que regulamenta processos industriais de empresas brasileiras e multinacionais.

O R-141B deixará de ser vendido?

O PBH está dividido em duas principais fases atualmente. A segunda delas foi iniciada em janeiro de 2020. A resolução impõe redução de ao menos 39,9% na importação de fluidos refrigerantes com alto potencial de agravação do efeito estufa.

Para o R-141B, no entanto, a importação deverá ser reduzida em 90,03% . Ainda assim, sua comercialização ainda é permitida enquanto durarem os estoques.

Além de ser usado em larga escala para limpeza de tubulações de geladeiras, freezers e aparelhos de ar condicionado, o R-141B também é muito utilizado na produção de espumas e plásticos de poliuretano, para expansão dos materiais. Esse tipo de aplicação também não pode mais ser realizada.

Tenha cuidado ao substituir o R-141B

Como explicado acima, a venda do R-141B ainda é permitida, mas sua importação foi reduzida quase completamente. Portanto, apesar do processo de substituição ser gradual, já é possível observar novas alternativas surgindo no mercado.

É preciso estar atento, no entanto. Atualmente, muitas das opções que estão sendo comercializadas como substitutas do fluido não passam por um controle de qualidade apurado. Dessa maneira, não há como determinar que tipo de danos o uso de solventes alternativos pode causar à tubulação dos aparelhos.

Além do potencial risco que representam aos sistemas de refrigeração, essas substâncias podem invalidar os termos de garantia dos aparelhos. Uma situação como essa pode romper a valiosa relação de confiança entre cliente e técnico.

E agora, como saber o substituto ideal para o R-141B?

Durante a substituição desse fluido é importante apostar em produtos certificados, com garantia de qualidade e performance. Para isso, a melhor escolha está nas marcas tradicionais de fluidos refrigerantes já conhecidas no mercado.

Durante a Febrava do ano passado, a Chemours, uma das maiores e mais respeitadas fabricantes de fluidos refrigerantes, anunciou o lançamento do Opteon™ SF80.

Esse fluido não só é mais sustentável, mas também mais eficiente que o R-141B. Ele pode ser utilizado na remoção de graxa, óleo, resíduos de solda e silicone. Além disso, ele também oferece uma limpeza a frio de alta precisão que desengraxa e remove qualquer impureza.

O Opteon™ SF80 foi anunciado na FEBRAVA de 2019, a maior feira de refrigeração da América Latina.

O seu potencial de solvência é maior, principalmente na aplicação de sólidos contaminados. Sua remoção do sistema é muito mais fácil porque seu ponto de ebulição é de 47ºC e, portanto, possui uma secagem rápida. O Opteon™ SF80 também não é inflamável, nem tóxico. Seu potencial de contribuição para o aquecimento global é baixo, reduzindo danos ao meio ambiente.

Você quer saber mais sobre fluidos refrigerantes? Nosso blog está cheio de textos sobre o assunto! Aqui estão alguns:

Saiba como escolher o fluido refrigerante ideal
HFO: Tudo que você precisa saber sobre o novo tipo de fluido refrigerante
Vazamento de Fluido: Como Prevenir?

Este post tem um comentário

  1. formiato de metila, é uma opção?

Deixe uma resposta

Fechar Menu