Seja bem-vindo ao nosso blog.

O que é um Chiller? Saiba tudo sobre o sistema de refrigeração que está mudando o mercado.

Você já ouviu falar das unidades de resfriamento por água gelada? Esses são sistemas versáteis e duráveis, que vêm ganhando espaço no mercado nos últimos anos.

Mais conhecidos como chiller, esses aparelhos de resfriamento são usados em eventos, unidades hospitalares, aeroportos, estações de metrô e muito mais.  Além de ser muito mais potente que o sistema split, os aparelhos de ar-condicionado chiller são mais econômicos e controlam temperatura e umidade relativa do ar de maneira otimizada.

Atualmente, encontramos chillers de diferentes tipos no mercado, cada um eles apresentam um funcionamento e uma aplicação diferenciada.  Quer saber quais os tipos mais populares de chiller e como eles funcionam? A eletrofrigor vai te contar tudo sobre o assunto.

Afinal, o que é um Chiller? 

Um chiller é um aparelho de ar-condicionado com sistema baseado no resfriamento de água. De maneira resumida, ele resfria grandes ambientes através de água gelada e não apenas fluido refrigerante.

Esses equipamentos são indicados para refrigeração de grandes espaços. Sua potência é medida em toneladas de refrigeração, podendo chegar até 250 TR.

Cada tonelada de refrigeração (TR) equivale à 12.000 BTUs/h. Chillers, portanto, possuem uma capacidade muito acima de qualquer aparelho split, cuja capacidade atinge no máximo 60.000 BTUS/h.

Normalmente, chillers mantém a temperatura da água por volta de 12ºC. No entanto, com o uso de aditivos anticongelantes como o etilenoglicol, esses sistemas podem alcançar temperaturas negativas facilmente. 

Como funciona um sistema chiller? 

Tudo começa com o fluido refrigerante fluindo do receptor para a válvula de expansão. Uma vez que esse fluido está na válvula, ela introduz o gás no evaporador, onde há um troca de calor com a água que passa pela serpentina.

Depois disso, o fluido refrigerante sai do evaporador e entra no compressor como um gás frio e sai como um gás quente, em alta pressão.  Logo após, passa pelo condensador, onde é resfriado pela água de condensação até ficar em estado líquido.

Daí ele retorna ao receptor como líquido. Ao fim do processo, a água de condensação é bombeada para a torre de resfriamento. Nessa fase do processo, os fan coils agem como evaporadoras, levando o ar resfriado para o ambiente. 

Quais são os tipos de chillers? Quais as suas vantagens? 

Atualmente, existem dois principais tipos de chillers sendo usados na refrigeração brasileira, os de condensação a água e os de condensação a ar. Ambos oferecem vantagens como o baixo consumo de energia e uma escala de variação de tempertura bastante ampla.

Isso torna os chillers aparelhos versáteis e com um custo-benefício sem igual principalmente para aplicações industriais e comerciais. Quer saber mais sobre esses dois tipos de chiller? Vamos te contar tudo.

Chiller de Condensação a água

Os chillers de condensação a água são equipamentos extremamente versáteis e econômicos. Eles funcionam de forma silenciosa e, por conta disso, são muito populares em aplicações hospitalares ou em grandes escritórios.

Existem dois tipos de compressores mais aplicados nesse tipo de chiller – o centrífugo e os parafuso. O chiller de condensação a água pode chegar a uma potência de até 2.000TR.

Os equipamentos mais potentes utilizam os compressores parafuso. Apesar de representarem um alto investimento inicial, chillers de condensação a água oferecem maior capacidade de refrigeração por um custo energético reduzido, apresentando um ótimo custo-benefício a longo prazo.

Chiller de Condensação a ar

Esses tipos de chiller também utilizam compressores scroll e parafuso. Sua potência pode chegar até 350TR, durante seu funcionamento. Esses são equipamentos robustos e duráveis.

São mais popularmente aplicados em sistemas de refrigeração industrial. Esses também são equipamento robustos, com poucas partes móveis. Isso quer dizer que a sua manutenção é mais centralizada e simples.

Quais são os tipos de chillers? Quais as suas vantagens? 

Atualmente, existem dois principais tipos de chillers sendo usados na refrigeração brasileira, os de condensação a água e os de condensação a ar. Ambos oferecem vantagens como o baixo consumo de energia e uma escala de variação de tempertura bastante ampla.

Isso torna os chillers aparelhos versáteis e com um custo-benefício sem igual principalmente para aplicações industriais e comerciais. Quer saber mais sobre esses dois tipos de chiller? Vamos te contar tudo.

Chiller de Condensação a água

Os chillers de condensação a água são equipamentos extremamente versáteis e econômicos. Eles funcionam de forma silenciosa e, por conta disso, são muito populares em aplicações hospitalares ou em grandes escritórios.

Existem dois tipos de compressores mais aplicados nesse tipo de chiller – o centrífugo e os parafuso. O chiller de condensação a água pode chegar a uma potência de até 2.000TR.

Os equipamentos mais potentes utilizam os compressores parafuso. Apesar de representarem um alto investimento inicial, chillers de condensação a água oferecem maior capacidade de refrigeração por um custo energético reduzido, apresentando um ótimo custo-benefício a longo prazo.

Chiller de Condensação a ar

Esses tipos de chiller também utilizam compressores scroll e parafuso. Sua potência pode chegar até 350TR, durante seu funcionamento. Esses são equipamentos robustos e duráveis.

São mais popularmente aplicados em sistemas de refrigeração industrial. Esses também são equipamento robustos, com poucas partes móveis. Isso quer dizer que a sua manutenção é mais centralizada e simples.

Qual a diferença entre chiller e fan coil?

O chiller e o fan coil são duas partes do mesmo sistema de refrigeração. O chiller poderia ser comparado ao condensador de uma unidade split, onde as trocas de calor acontecem.

Já o fan coil poderia ser comparado à unidade evaporadora, que força a passagem do ar refrigerado pela água diretamente para o ambiente.

Agora que você já sabe quais os principais tipos de Chillers, que tal dar uma olhada em outros textos sobre refrigeração comercial?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe